22 janeiro 2008

Fatos aleatórios e randômicos

Fato 1. Não consigo achar Long Walk to Freedom, auto-biografia do Mandela, traduzido para o português. Este é fato que deixa indignada pois é uma das auto-biografias mais interessantes que eu já li e queria muito, muito mesmo, presentear uma pessoa especial em português. Terá que ser em inglês, o que transforma o presente quase que em presente de grego.

Isso me leva ao Fato 2, que é o término hoje deste tijolão que foi lido enquanto Julia mamava ou dormitava, ou enquanto eu pedalava na bicicleta de casa. E hoje, nas derradeiras páginas, chorei de verdade. Não é só uma aula de história bem dada. É uma lição de vida, de coragem, diligência, justiça - you name it. Se quiser aprender um pouco sobre o mundo, é leitura altamente recomendável.

"Time and again, I have seen men and women risk and give their lives for an idea. I have seen men stand up to attacks and torture without breaking, showing a strength and resilience that defies the imagination. I learned that courage was not the absence of fear, but the triumph over it. I felt fear myself more times than I can remember, but I hid it behind a mask of boldness. The brave man is not he who does not feel afraid, but he who conquers that fear". (pp. 748)

Agora fatos mais pra categoria egotrip. Dia desses recebi uns e-mails ou comentários no blog sobre como eu "pareço ser uma pessoa calma", ou "como a minha vida parece arrumadinha", este tipo de coisa. O que me leva ao fato 3: a lembrança de um ex-namorado (canalha, diga-se de passagem) que terminou comigo dizendo que meu problema é que eu sou muito fake. O que é uma boa verdade, ainda que tenha vindo de um canalha. Porque quando eu recebo estes comentários baseados no que escrevo, percebo como eu engano direitinho todos na distância. Muito provavelmente engano a mim mesma... e quiçá até a pobrezinha da Julia (ou não, acho que aquela ali já percebeu que tem uma mãe histérica). Por isso resolvi vir aqui descrever o fato e me desculpar publicamente. Eu sou a pessoa mais histérica que conheço, e se pareço ser da paz é porque me aproveito dos parcos calmos momentos da vida pra sentar e escrever para o blog. Hoje a Julia completa 2 meses e posso afirmar que foram raros os momentos, desde 22/11/07, que eu não estava tendo uma pequena (ou grande) crise histérica. No começo, a frase "What kind of mother..." vinha debulhada em lágrimas - what kind of mother doesn't notice her daughter is hungry... or dirty, or wet, or with blocked nose... Hoje já vem sempre em tom irônico, porque obviamente virou piada entre eu e o Michael (na verdade, mais piada pra ele do que pra mim). Mas demonstra como o fato é verdadeiro: de calma, eu não tenho nada! Transitórios é persona apenas, minha gente. Essa que vos escreve é, na verdade, uma louca varrida, histérica e ansiosa.

Desculpas feitas, retomo o já mencionado e que constitui o fato 4: hoje Julia completa 2 meses! Está uma linda, esta minha filha. E apesar de dia-sim-dia-também eu me achar a mãe mais incompetente do mundo, eu admito que hoje estou orgulhosa de nós.

O fato 5 é que em breve (mas infelizmente ainda não se sabe quando) vovó de Julia chega! Apesar de data incerta por questões fora de nosso controle, será a primeira das famílias a conhecer a rebentinha, o que faz a mãe ansiosa já até saber que roupinha vamos usar para buscá-la no aeroporto. Tem que ser algo rosinha bem lindinho pra fazer a Julinha ter a carinha de netinha-de-vovó. Ah sim, porque o fato 6 é que por não usarmos muito roupinhas cor de rosa, constantemente as pessoas na rua acham que a Julia é um menino! Ora bolas, só porque a bichinha usa verde, azul, amarelo, laranja, roxo, branco, ela é um menino! Eu sei que bebê tem cara de bebê, não de menino ou menina, e que logo logo o rostinho dela será suficiente pra as pessoas se mancarem. Mas por ora, as pessoas não perguntam se é menino ou menina, elas já assumem que porque não está de rosa com frufru é um menino. Aff mediocridade que me cansa a beleza... Mas enfim. No aeroporto, nesta data que será em breve oxalá meu rei, vamos de netinha-de-vovó, rosinha, com perfuminho, chapeuzinho, sapatinho e o que mais tiver direito, que é pra ser cinematográfico (de vez em quando não faz mal a ninguém).

O fato 7 é que alugamos casa em Swakopmund, onde o deserto encontra a praia. Passaremos lá 4 dias deliciosos - nós e Tila e Dingo, pois sem os cachorros a família não estaria completa. E, milagrosamente, eu até consegui reservar um jantar no The Tug, o restaurante mais impossível de se conseguir mesa que eu já vi na vida. De modo que teremos um jantar lindo e bem precisamente NO oceano Atlântico.

Pois bem, descritos os fatos -- aleatórios, randômicos e sem muita importância -- me retiro para voltar às brumas.

5 comentários:

Liliane disse...

:)
Ei Clarisse. Bom, não sei quantos comentários mais foram feitos, mas sei que eu deixei um bilhete dizendo da sua rotina linda e de como me deu vontade de ter filhos ao ler as suas notícias.
Eu acho mesmo muito linda a sua rotina aí, mas não imaginei que vc fosse um poço de paz, aliás isto para mim cheira mais a poço de pas -maceira. !!
Acho que gostei, e gosto, tanto do seu blog é exatamente por ver que alguém assim (semelhantemente histérica e louca varrida. kkkkkkk...vc foi muito cruel conosco)também pode sonhar estes sonhos de mãe e viver estas rotinas de mãe.
Eu tenho uma amiga que teve filhos gêmeos e no primeiro mês de vida deles eu me mudei para a casa dela, babá 24 horas. Foi fantástico e inacreditavelmente cansativo e enlouquecedor. Seu blog me deu um pouco de saudade daquele mês.
Me desculpe se meu bilhete te fez se sentir fake. kkkk.
Eu e meu namorado temos ficado aqui a namorar as fotos do seu blog. A gente sempre pensa em participar de projetos e/ou pesquisa por aí afora. E seu blog tem feito estas conversas serem retomadas.
Então....obrigada!!!
E a Julia é a menina mais fofa, linda e simpática que já vi. deixa este povo bobo para lá.
Um beijo.

Liliane disse...

vc é a primeira que logo de cara descobre manoel olhando para o meu blog. fiquei emocionada. é isto mesmo!!! o primeiro post eu trouxe o poema dele que dá nome ao blog. rs. AMO manoel.
e Clarisse .... vc tem toda razão em se apavorar em pensar em gêmeos. ÉÈ aterrorizante. Mas depois passa. Tinha um livro que nós líamos (sempe que dava, dá para entender né?) que se chamava: O primeiro mês passa. Se tornou o mantra madrugadas e dias afora.
Boa sorte aí. To de cá na torcida. rs
Beijo

Aichego disse...

Chorei de saudades...

Fiquei com saudades da sua filha que não conheço tb....

Outro dia publiquei no meu blog aquela carta que te escrevi (lembra da carta?)

Te amo,
Bárbara

AnaRi disse...

você nunca me pareceu tão calma assim - quase uma zen-budista. dizem (e eu não sei porque ainda não sou mãe), que todas as mães se sentem assim - "incompetentes" (?) - quando com seus primeiros filhos. então relaxa. :)
...
boas "férias". mudar de ambiente sempre faz bem.
...
beijocas. carinho.
...
PS: se eu repetir mais uma vez que a Julia está linda e me parece muito feliz com a mãe e o pai que tem, tu acreditas? ;)

Anônimo disse...

Clá,
Quem disse que eu quero ver Julia de cor-de-rosa?
Até gosto do cor-de rosa, mas eu acho que a cor dela é verde. Percebeu que predominou no que escolhemos para o enxoval?

Julia é verde!
Verde-água para o planeta que está secando; verde-vegetal para o planeta que estão desmatando; verde-esperança da geração que está chegando; verde que te quero verde.

Agora que, com um lacinho cor de rosa, ganha todo o charme de anos dourados e fakes, ah! isso ganha!

Minha querida: tudo no mundo é fake à exceção do que é vital.

Beijos da vovó com dois vvs de Verde.